Brócolos: da Grécia Antiga para as nossas mesas

Brassica oleracea italica – brócolo, para os amigos. É um tipo de couve originária da zona do Mediterrâneo e remonta aos tempos da Grécia Antiga.

Em meados do século XVIII, quando foram introduzidos na Grã-Bretanha por emigrantes italianos, os brócolos eram mesmo chamados de “espargos italianos”. Em alguns países nórdicos são ainda hoje conhecidos por “couve-espargo”. Os brócolos são populares em praticamente todas as cozinhas, desde a mais tradicional cozinha francesa, até às aromáticas gastronomias asiáticas.

Brócolos, bróculos ou brócolis?

A origem da palavra é italiana. Vem de broccolo, cujo plural é broccoli, que significa "com boca ou dentes salientes". Em Portugal utiliza-se a forma "brócolos", que tem por base a palavra italiana no singular (termina com "o"), ao passo que em português do Brasil se adoptou a forma brócolis. A palavra "bróculo" não existe.
 

Os muitos benefícios dos brócolos

Para começar, os brócolos são pobres em calorias e ricos em fibras, o que os torna excelentes aliados para controlar o peso. São ricos em vitamina C, mas contêm também importantes quantidades de vitamina A, vitamina K e ácido fólico. Os brócolos têm ainda quantidades significativas de muitas outras vitaminas e minerais, desde o ferro ao magnésio.

As propriedades dos brócolos e o seu efeito na saúde humana têm sido alvo de estudo, com resultados promissores. O consumo de brócolos foi associado a uma maior protecção contra diversos tipos de cancro – da mama, da próstata, do estômago ou da bexiga. Várias substâncias presentes nos brócolos estão a ser estudados pelas suas capacidades anti-inflamatórias, pelas propriedades na ajuda ao controlo dos níveis de açúcar no sangue, na redução do “mau” colesterol e promoção do “bom” colesterol e ainda na manutenção das capacidades cognitivas e rejuvenescimento dos tecidos. Uau!

Os brócolos pertencem a uma família exemplar

Os brócolos pertencem a uma família exemplar

Nesta família de grande gabarito das couves, e para além dos brócolos, há outros elementos que merecem ser destacados.

É o que se passa com os primos, também muito famosos pelos seus benefícios para a saúde, como a couve-flor, a couve-de-bruxelas, o repolho ou a couve-galega.

O que é que se pode dizer? É boa genética.

Variedades de brócolos

Existem três grandes variedades de brócolos:

  • Brócolos Calabrese

    Normalmente são conhecidos apenas como brócolos – são o tipo mais comum, de cor verde-escura.

  • Brócolos roxos

    Por vezes são chamados como Couve-Flor Roxa, por terem os floretes roxos. Esta variedade é mais comum nos países da Europa do Norte e é mais difícil de encontrar em Portugal.

  • Rebentos de brócolos

    Também chamados Bimi ou Broccolini, têm cor verde-escura e parecem brócolos mais pequenos, com caules longos, finos e tenros. Esta variedade é recente e resulta do cruzamento entre brócolos e couve chinesa.

Como comer brócolos?

A grande popularidade dos brócolos deve-se, em grande medida, ao facto de serem extremamente versáteis na cozinha e de se poder aproveitar tudo: talos, folhas e floretes.

Os brócolos podem ser apreciados de diversas formas. É tudo uma questão de imaginação: