O que é a dieta mediterrânica?

Sopas, cozidos, ensopados ou caldeiradas são a essência da Dieta Mediterrânica. Uma cozinha com métodos de confecção simples, em que os produtos de origem vegetal, frescos, sazonais e locais, são o grande trunfo.

Este regime alimentar preserva o valor nutricional dos alimentos, respeita as receitas locais, os hábitos tradicionais e, ao contrário do ‘fast-food’ e da comida processada, protege o organismo de doenças cardiovasculares, cancro, diabetes e doenças degenerativas.

Alimentos que fazem parte da dieta mediterrânica

A dieta mediterrânica privilegia os cereais pouco refinados ou integrais, produtos hortícolas, frutas, leguminosas, frutos secos e oleaginosos. A opção pelo peixe é frequente, em detrimento de ovos, laticínios e produtos processados. Já as carnes são preferencialmente de aves e o consumo de carnes vermelhas é limitado a uma vez por semana.

Os condimentos usados constituem um dos segredos: cebola, alho, ervas aromáticas, como um substituto do sal, e o azeite, que é a gordura de eleição para cozinhar e temperar. As refeições são acompanhadas sobretudo por água e por vezes vinho, embora este néctar deva ser ingerido com moderação.

Quem nunca saboreou uma sopa de peixe com mexilhão, um risotto de couve portuguesa com abóbora ou um bacalhau no pão, não sabe o que perde.

Mais do que um regime alimentar, uma forma de viver

Sabia que a palavra “dieta” vem da palavra grega “diaita” que significa “modo de vida”?

Feche os olhos e pense na sua rotina diária: acorda, toma banho, veste-se, vai para o escritório, treina no ginásio durante 30 minutos, almoça, volta ao trabalho, voa até ao supermercado, janta, lava a loiça, bebe um copo de vinho e adormece no sofá da sala logo durante os primeiros 5 minutos do seu programa de TV favorito.

Agora, reveja esse dia na sua mente e preste atenção aos detalhes: à comida que come, ao exercício físico que pratica, ao tempo que tem em família, à sua vida social. Sente que falta alguma coisa?

Porque não começa por juntar a sua família à mesa e aproveita a oportunidade para mudar a sua rotina diária, enquanto come um delicioso peixe grelhado temperado com azeite?

À mesa, o convívio e a comunicação ocorrem num ambiente descontraído e sereno e o sabor das receitas é passado de geração em geração.

À mesa, o convívio e a comunicação ocorrem num ambiente descontraído e sereno e o sabor das receitas é passado de geração em geração.

Mais saúde

Mas se para os especialistas, a dieta mediterrânica protege a saúde, promove a longevidade e a qualidade de vida – esta opção alimentar ganhou notoriedade depois de na década de 50 do século XX, o investigador e filósofo norte-americano Ancel Keys ter constatado, pela primeira vez, que os povos do Mediterrâneo tinham menos enfartes, comparativamente com outras zonas do Mundo -, paralelamente é fundamental praticar actividade física de forma regular.

O exercício previne, além de doenças, a obesidade, o que para muitos portugueses é hoje um autêntico quebra-cabeças.

O exercício previne, além de doenças, a obesidade.

O exercício previne, além de doenças, a obesidade.

Património Cultural Imaterial da Humanidade

O sucesso da Dieta Mediterrânica levou mesmo a UNESCO a considerar, em 2013, este regime alimentar de ‘Património Cultural Imaterial da Humanidade’. Um modelo alimentar cultural, histórico e de saúde a preservar e para ser transmitido como herança cultural às gerações futuras.