Café sobre rodas?

A Vélosophy lançou uma edição de mil bicicletas, cada uma delas produzida a partir da reciclagem de 300 cápsulas de café Arpeggio da Nespresso, marca parceira do projecto.

Os gestores da empresa sueca salientam que as bicicletas foram produzidas “usando alumínio reciclado, o que é uma maneira bonita de sustentar os recursos da Terra e de colocar vida em movimento”.

A RE:CYCLE tem cor púrpura brilhante, tal como as próprias cápsulas Arpeggio, um cesto para transportar copos e uma campainha em forma de cápsula de café. O preço está fixado em 1.290 euros e a venda é feita apenas através do site da empresa.

Oferta de bicicletas a comunidades em África

Por cada bicicleta vendida, a Vélosophy oferece outra a uma jovem estudante de um país em desenvolvimento – têm sido apoiadas comunidades no Gana – com o objectivo de melhorar o seu acesso à educação. Dados da organização não-governamental World Bicycle Relief mostram que o acesso a uma bicicleta diminui o absentismo escolar das raparigas em 28% e melhora em 59% a hipótese de terminarem os seus estudos.

Cápsulas de café Nespresso

Cápsulas de café Nespresso

Reciclar alumínio

A ideia de fabricar bicicletas surgiu quando o fundador da Vélosophy, Jimmy Östholm, intrigado com uma campanha de reciclagem da Nespresso, pediu para ter acesso a algumas embalagens. A partir daí explorou possíveis usos, sempre tendo na ideia converter aquele desperdício “em algo útil”.

Todo o alumínio que existe pode ser transformado em novos produtos, e eu acho que essa é a principal mensagem.

Jimmy Östholm, fundador da Vélosophy

O desafio maior foi transformar o alumínio das cápsulas num material suficientemente rígido, que cumprisse os padrões de segurança exigidos para se fabricar uma bicicleta. Sendo infinitamente reciclável, “todo o alumínio que existe pode ser transformado em novos produtos, e eu acho que essa é a principal mensagem”, disse Jimmy Östholm.

Já para a Nespresso, o projecto permite mostrar aos consumidores o potencial de reciclagem das cápsulas de café – depositadas em aterro demoram 150 anos a decomporem-se. A empresa do Grupo Nestlé garante que as suas cápsulas são 100% recicláveis, através de um sistema criado na Suíça em 1991 e que já funciona em mais de 50 países.