Reciclagem para “totós”

Não vamos mentir-lhe: sabe aquele copo de iogurte que deitou no lixo comum na hora do lanche? Sim… o seu colega de trabalho reparou que não colocou a embalagem no ecoponto. E era tão fácil fazê-lo.

Como sabemos que existe alguma desinformação associada ao que e como reciclar, vamos esclarecer alguns dos mitos mais comuns que nos impedem de contribuir para um planeta com menos lixo e maior reutilização de matérias-primas.

  1. Não sei bem o que colocar no ecoponto.

    É uma embalagem? Então vai para o ecoponto! Este é o raciocínio que deve fazer antes de colocar qualquer produto no lixo. Geralmente, qualquer embalagem que acondiciona o produto que acabámos de consumir pode ser colocada no ecoponto para reciclar. Se for de vidro coloque no ecoponto verde. Se for papel ou cartão coloque no ecoponto azul. Embalagens de plástico, ou metal, incluindo alumínio, devem ser colocadas no ecoponto amarelo.

  2. Não tenho tempo para lavar as embalagens.

    Nem precisa de o fazer! As máquinas dos centros de triagem lavam as embalagens à sua chegada, antes de serem encaminhadas para o seu destino final. Por isso, é só escorrer o conteúdo e espalmar bem as embalagens. Caso só possa deslocar-se a um ecoponto uma vez por semana, por exemplo, e prefira que as embalagens não soltem um odor desagradável, pode passá-las por água, embora esse consumo de água seja dispensável. Quanto às embalagens de papel e cartão para o ecoponto azul, coloque-as no lixo comum se estiverem sujas com gordura.

  3. Eu nem produzo assim tanto lixo, posso deitar tudo no lixo comum.

    Em média, cada um de nós produz 1,5kg de lixo por dia. O Centro de Triagem da Valorsul, em Lisboa, por exemplo, trata por dia 1.200 toneladas de lixo e apenas trata resíduos sólidos urbanos das regiões de Lisboa e do Oeste (num total de 19 concelhos). Se todo este lixo fosse para aterro, seria necessário construir um de 4 em 4 anos!

  4. Acho que a esferovite não pode ser reciclada. E o que faço às lâmpadas? E às pilhas?

    Hoje em dia já é possível reciclar esferovite, desde que o coloque no ecoponto amarelo. As lâmpadas fluorescentes, ao contrário das redondas de casquilho (que devem ser colocadas no lixo comum), têm um material inflamável e poluente. Quando uma lâmpada deste tipo se funde, pode entregá-la, sem qualquer custo, no estabelecimento onde vai comprar a nova. Também pode depositá-la nos pontos de recolha de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, ou nos ecocentros que as aceitam.

    Quanto às pilhas, deve colocá-las nos ecopontos apropriados. E aquele electrodoméstico antigo que foi recentemente substituído por um novo deve ser colocado no ecoponto para o efeito. Existem 370 lojas Pingo Doce com ecopontos, variando a tipologia de resíduos (pilhas usadas, equipamentos eléctricos e electrónicos, óleo alimentar, tinteiros e tonners e cápsulas de café de qualquer marca) de acordo com a loja.

    Se estiver na Polónia, saiba que 98% das lojas Biedronka oferecem os mesmos equipamentos para reciclagem de pilhas usadas e resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos. Na Colômbia, também pode colocar as pilhas usadas em 250 lojas da Ara. Saiba mais sobre a correcta deposição destes resíduos especiais.

    No caso das tampas de plástico, deve manter a tampa na respectiva embalagem de plástico e depositar no ecoponto amarelo, de forma a que o seu município as possa encaminhar para reciclar.

    Em Portugal, existe ainda uma aplicação para telemóvel da Quercus, a WasteApp, disponível também em website, que faz um tracking dos pontos de recolha a nível nacional, incluindo as lojas Pingo Doce que possuem ecopontos.

  5. Não sei bem o que acontece depois ao material que é reciclado, nunca vi nenhum produto feito com esses materiais.

    Embora nem sempre nos apercebamos, utilizamos diariamente diversos objectos que foram produzidos a partir dos resíduos de embalagens descartadas e devidamente separadas pelos consumidores. Com metais usados podem ser produzidas bicicletas, trotinetas, bicos do fogão e do esquentador ou peças de automóvel e, com plástico, produzem-se novas embalagens para detergentes, fibras para peças de vestuário, vasos, tubos de canalização, mobiliário urbano, pavimentos e sacos de plástico. Com papel e cartão reciclado podem ser produzidos novos blocos de papel, caixas de cartão canelado e embalagens e, com vidro, novas garrafas, frascos e boiões.

  6. Na minha zona, o camião passa e junta o lixo de todos os ecopontos

    É habitual que os camiões de recolha juntem todos os resíduos, até porque a maioria dos municípios define dias distintos para a sua recolha, seja nos ecopontos ou em sistema de recolha porta-a-porta. No entanto, caso isso aconteça, saiba que existem camiões compartimentados que não permitem que os resíduos se misturem.

Fun fact: existem 3 vezes mais ecopontos em Portugal do que caixas de Multibanco.