Acabar com o desperdício alimentar

Imagine vir do supermercado com as compras para a semana. O peixe mais fresco, a carne mais suculenta, a fruta e os legumes mais saborosos (sim, nós sabemos que foi ao Pingo Doce).

Chega a casa e a primeira coisa que faz é pegar num dos 3 sacos de compras e deitá-lo ao lixo. Que coisa parva de se fazer, certo? Certo. Mas, e se lhe dissermos que é como se já o fizesse?

Mais de 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos são desperdiçados todos os anos em todo o mundo, o equivalente a cerca de 1/3 de toda a comida produzida.

Se a isto juntarmos o facto de existirem mais de 820 milhões de pessoas em situação de fome e subnutrição, torna-se ainda mais urgente fazer desta causa uma prioridade. Está na altura de declarar guerra ao desperdício.

Algumas causas do desperdício alimentar

Quando pensa em desperdício alimentar, qual é a primeira coisa que lhe passa pela cabeça? Se pensou naquilo que sobrou do jantar do último fim de semana, e que está escondido na prateleira do frigorífico, lembre-se desses restos da próxima vez que tiver mais olhos que barriga.

No entanto, saiba que não se trata da única causa de desperdício alimentar no mundo. Em bom rigor, o desperdício alimentar começa no campo, na produção agrícola. Colheitas abandonadas ou estragadas devido a doenças, infecções ou contaminação dos solos, fazem com que muitos dos alimentos produzidos sejam logo deitados fora.

A estes podem juntar-se também os chamados “legumes feios” que, apesar de não terem o aspecto imaculado e o calibre necessário para estarem à venda nos supermercados, têm o mesmo perfil e valor nutricional que os “legumes bonitos”. Há quem os deite fora. Mas isso seria um disparate.

Legumes feios

Fruta e legumes "feios".

Feios por fora, lindos por dentro

Desde 2011 que as principais cadeias de Distribuição Alimentar do Grupo Jerónimo Martins incorporam nas suas receitas os “legumes feios”. Antes eram simplesmente deixados nos campos ou deitados fora, mas agora são usados para a confecção de refeições prontas a comer, como sopas ou saladas, à venda nas lojas Pingo Doce em Portugal ou Biedronka na Polónia.

 

Doar para evitar o desperdício alimentar

E o ciclo continua. No supermercado, as frutas e vegetais que apresentam pequenas pisaduras são muitas vezes rejeitados pelos consumidores. Também o pão que sobra das últimas fornadas, os bolos que não são consumidos até ao final do dia ou os produtos cujas datas de validade estão muito próximas acabam por não ser vendidos e resultam naquilo a que os retalhistas chamam “quebra”.

Daí que a escolha cuidadosa de tudo aquilo que vai para as lojas seja muito importante para garantir stocks equilibrados: nunca a menos, mas também é importante evitar quantidades a mais.

No final de cada dia, o Pingo Doce em Portugal, a Biedronka na Polónia e a Ara na Colômbia, associam-se às instituições próximas das lojas e Centros de Distribuição para apoiar as comunidades envolventes, oferecendo por isso os produtos que iam resultar em desperdício. Em conjunto, foram doadas mais de 15.600 toneladas de alimentos em 2019.

Consequências do desperdício alimentar

A Europa desperdiça cerca de 88 milhões de toneladas de alimentos por ano, o que se traduz no enorme valor de 143 mil milhões de euros em perdas. Ao mesmo tempo, há 43 milhões de pessoas na União Europeia que não têm possibilidades de comer uma refeição nutritiva todos os dias.

O desperdício alimentar significa também que, enquanto espécie, estamos a sobreexplorar os recursos do planeta e a provocar um acréscimo de 8% nas emissões globais de gases com efeito de estufa.

Não pense apenas no produto em si, pense em tudo o que foi preciso para que ele exista: a água necessária para cultivar esse produto, o combustível necessário para o transportar, a energia para o manter e cozinhar. Pode ser que da próxima vez que abra a porta do frigorífico, os restos de comida perdidos já lá não estejam.

Sabe o que pode fazer no seio do seu lar para ajudar a combater o desperdício de comida? Conheça 9 dicas para evitar o desperdício em casa e perceba como é que o Pingo Doce torna fruta e vegetais feios em refeições saborosas e nutritivas.