Abacate: um alimento especial

Se procura um super-herói verde na vida real, não procure mais. O abacate é bem real e não veio do planeta Kripton, mas podia.

Embora se acredite que o seu local de nascimento tenha sido o México Central e do Sul, o seu merecido habitat é no centro de qualquer mesa de brunch que se preze.

O abacate foi recentemente promovido ao estatuto de «Super-Alimento»: a sua textura cremosa, as suas gorduras saudáveis e o seu agradável e subtil sabor promoveram-no de um simples complemento de salada a ingrediente indispensável em centenas de receitas sofisticadas. E é altamente «Instagramável»! Nos dias que correm, nenhum bar saudável que se preze pode deixar de oferecer guacamole – um puré de abacate misturado com cebola picada, tomate e piri-piri.

Abacate numa taça de guacamole

Guacamole: um must-have em qualquer bar saudável perto de si

Qual a sua origem?

Apesar de o abacateiro ser originário de zonas subtropicais da América do Sul, o seu cultivo e produção dão-se agora em várias zonas do mundo, desde França à Nova Zelândia. Actualmente, existem variedades suficientes para que a sua produção se dê todo o ano, seja Inverno ou Verão – e nós estamos agradecidos, seria muito duro ter que esperar meses por este super-herói da cozinha.

Sabia que?

Uma das formas de germinar sementes de abacate é espetar três ou quatro palitos na semente, a cerca de um terço da altura, e colocar o caroço parcialmente submerso em água durante quatro a seis semanas.

Os vários benefícios do abacate

Mas qual é o superpoder do abacate? Correção: os superpoderes! Ora vejamos: é rico em potássio, vitaminas do complexo B e gorduras insaturadas. Assim, os seus nutrientes ajudam a reduzir o mau colesterol, aumentando os níveis do bom. Os últimos estudos apontam até eficácia na redução da incidência de alguns tipos de cancro. Cientistas descobriram também que a luteína que está na sua composição melhora a saúde ocular e reduz o crescimento das células de cancro na próstata em 25%. E como se não bastasse, ajuda ainda a regular a tensão arterial.

Mas não serve só para comer. Há quem o use em máscaras caseiras já que hidrata a pele e, ao mesmo tempo, repara e nutre o cabelo.

Abacate utilizando um "sombrero"

Tipos de abacate

Se já o viu à venda, deve ter percebido que há variedades diferentes, tanto em cor como em forma. No entanto, costuma-se dividi-lo em duas variedades: o de casca verde e o de casca castanha (também chamado Hass).

  • Abacate Hass

    Tem pele castanha escura, espessa e rugosa, podendo tornar-se púrpura quando maduro. A textura é amanteigada e o interior tem cor creme-esverdeada. Esta variedade é aproximadamente oval e tem tamanho médio.

  • Abacate Fuerte

    Tem forma similar ao de uma pera de tamanho médio a grande, com a casca verde opaco, lisa e fina. A polpa tem uma cor amarelo-esverdeada e textura amanteigada.

  • Abacate Reed

    Esta variedade é arredondada e de tamanho médio a grande. A casca é lisa, brilhante e verde, com espessura média. A polpa tem uma cor creme-amarelada, com textura ligeiramente granulada. Esta é uma variedade de verão.

  • Abacate Bacon

    Forma oval e cor verde brilhante, com pele lisa e fina. A polpa é amarelada e um pouco fibrosa.

  • Abacate Pinkerton

    A casca da variedade Pinkerton é lisa e fina, mas tem uma cor verde mais escura. A polpa é amarela-esverdeada.

Formas de comer abacate

Uma das características mais “super” deste herói é que pode ser comido de diversas maneiras, em todo o tipo de pratos.

A forma mais comum é, claro, o guacamole. Mas não é, de todo, a única. Há quem o coma mesmo assim, à colher, regado com sal e azeite; outros preferem em saladas. A tosta de abacate, ou avocado toast, também se tornou viral entre a geração millennials, e há quem jure a pés juntos que barrado em torradas logo pela manhã é a melhor maneira de o comer. Mas não se fica por aqui: pode fazer sopa fria, bolos e brownies, cheesecake ou até mousse de chocolate.

Da próxima vez que lhe puser a vista em cima, não deixe de experimentar uma receita nova.