Castanhas, uma tradição mediterrânica

A castanha é um alimento muito popular e apreciado na cultura gastronómica de inspiração mediterrânica, mas não goza do mesmo estatuto no resto do mundo. Uma razão para isto acontecer é a sua proveniência. Pensa-se que seja originária dos Balcãs, Cáucaso e Ásia Menor, tendo ganho popularidade no Sul da Europa muito rapidamente. É por isso normal que a castanha faça parte da tradição de países como Portugal, Espanha, França, Itália e Grécia. Inglaterra, Turquia, Croácia e Geórgia são outros países onde também há castanheiros. Eslováquia e Países Baixos são geografias mais recentes, e onde a tradição à volta do consumo da castanha não está tão enraizada.

O castanheiro (nome científico Castanea sativa) precisa de um clima moderado em temperatura e humidade para que as castanhas se desenvolvam e apresentem as características que são tão apreciadas – e o clima mediterrânico é o mais indicado.

As castanhas são as sementes do castanheiro

Sabia que?

As castanhas não são o fruto do castanheiro, mas sim as sementes. Tecnicamente, os ouriços é que são os frutos do castanheiro.

Castanhas quentes e boas… e saudáveis também!

Se pensa que o único benefício da castanha é a felicidade que traz a miúdos e graúdos durante o magusto, desengane-se. Há muitas e boas razões pelas quais se deve incluir a castanha na alimentação.

O que é o magusto?

É uma festa associada ao dia de São Martinho, em que é hábito assar castanhas e beber água-pé ou jeropiga (in. Infopédia, Porto Editora).

As castanhas são fonte de ácido fólico, potássio e de nutrientes com propriedades antioxidantes, como a vitamina C, o cobre e o manganês. São pobres em gordura (fica a dica) e ricas em fibra. Uma dúzia de castanhas assadas tem menos de 2 gramas de gordura e fornece cerca de 30% da dose diária recomendada de fibra para um adulto.

Mas não é tudo. São naturalmente isentas de glúten, pelo que pessoas com doença celíaca podem – e devem! – desfrutar deste fruto delicioso.

Sendo maioritariamente compostas por hidratos de carbono complexos, uma dúzia de castanhas fornece aproximadamente 270 kcal. E, quais cerejas no topo do bolo, as castanhas não fornecem colesterol. Quem estiver a procurar seguir uma alimentação mais equilibrada pode incluir castanhas porque não se vai desviar do bom caminho.

O castanheiro é a árvore que dá castanhas

Os castanheiros são árvores extremamente resilientes e podem viver até dois mil anos.

A castanha em Portugal e na cultura portuguesa

A castanha é considerada uma guloseima sazonal, mas em tempos idos foi um produto básico na nossa alimentação. Como alternativa à escassez de batatas ou pão, a castanha brilhava tanto em fruto como em farinha.

Em Portugal, há inúmeras variedades de castanhas, de norte a sul do país. Entre as mais apreciadas estão as variedades Amarelal (Minho), Judia e Bária (Beira Interior), Longal e Martaínha (Beira Litoral). Na Serra da Estrela a castanha é considerada uma espécie autóctone.

É na Península Ibérica que a castanha encontra uma celebração ao seu nível: o magusto. Qualquer bom português sabe que o dia de São Martinho, a 11 de novembro, não fica completo sem castanhas assadas. Já diz o ditado, “No dia de São Martinho, lume, castanhas e vinho.”

Sabia que?

Uma plantação de castanheiros chama-se castanhal ou souto. Uma porção de castanhas assadas na fogueira, é um magusto.

Castanhas, para saborear em qualquer ocasião

E agora que já sabe mais sobre a história e tradição das castanhas, será que conhece as formas de as comer? Para além de cozidas (com erva-doce) ou assadas, claro. A castanha é um alimento muito versátil, e pode ser utilizada em doces, num prato salgado ou em sopas.

Experimente fazer o delicioso bolo cremoso de castanhas ou uns bombons caseiros com recheio de castanha. Como acompanhamento, saboreie-as num assado de cabrito, num ensopado de frango ou atreva-se a um peru recheado com castanhas para a noite da consoada.

No entanto, se quiser fazer um prato em que a castanha é a estrela, não procure mais. Há sopas variadas de castanha, castanha e cogumelos ou castanha e abóbora à espera para aquecerem o outono.

Na lancheira, cabe uma quiche de castanhas e espinafres e para impressionar os convidados recomendamos uns gnocchi de castanhas com creme de espinafres. Para um prato diferente, sirva um bacalhau gratinado com castanhas ao forno.

A sopa de castanha como protagonista da Juliana

Com o propósito de ajudar a preservar um património em risco de se perder, Juliana – A Série é um projeto desenvolvido pelo Grupo Jerónimo Martins, que mostra como oito mulheres portuguesas, em oito regiões – de Norte a Sul do país, passando pelas Ilhas –, unem os seus à volta de um prato de sopa.

Veja no episódio quatro desta série como, com um fogão de lenha e muita paciência para pelar as castanhas, Céu ajuda a manter uma saborosa tradição da dieta mediterrânica que sobrevive nas encostas da Serra da Estrela e que tem a castanha como protagonista.