Regras para congelar em condições, sem meter água

Acertou calendários com aqueles amigos fugidios, conseguiu marcar o jantar, aprendeu a receita, foi ao mercado, passou horas a cozinhar e sentiu aquela satisfação de uma refeição prolongada em boa companhia. Agora, o que fazer com as sobras daquele delicioso esparguete com cogumelos salteados com alho e pecorino romano? E com a embalagem de cogumelos do bosque que não chegou a usar? Nos dois casos, pode congelar os alimentos para evitar o desperdício alimentar.

Mas primeiro, algumas regras de organização. Ao congelar comida é recomendável que anote o conteúdo e a data de congelamento na parte exterior do invólucro ou embalagem utilizada. Um bom princípio é usar os alimentos por ordem de congelação: dê prioridade ao que está há mais tempo no congelador.

A maior parte dos alimentos dura até três meses no congelador sem grande perda de sabor e textura.

Se vai guardar sobras de comida, tente separar os ingredientes. Neste caso, cogumelos para um lado, esparguete para o outro. O molho não será um problema ao congelar massas. O crucial é que o esparguete esteja al dente. Se a massa estiver muito mole, depois pode desfazer-se quando a for descongelar.

 

  • Como congelar esparguete?

Deixe o esparguete arrefecer à temperatura ambiente, como aliás deve acontecer com qualquer outra massa. Num tabuleiro, espalhe a massa numa única camada. Leve tudo ao frio e deixe congelar. Quando estiver sólido pode transferir o esparguete para um recipiente reutilizável.

Para descongelar, dê tempo às leis da termodinâmica. Passe o esparguete para o frigorífico até os cristais de gelo estarem derretidos. Depois aqueça a massa numa panela com água a ferver. Novamente, não deixe que o esparguete fique mole. Já foi cozinhado, portanto exige pouco tempo.

Congelar cogumelos frescos ou cozinhados
  • Pode e deve congelar cogumelos

Agora os cogumelos. É uma questão de bom senso, mas não se pode misturar os que estão cozinhados, e que foram usados no esparguete, com os cogumelos frescos. Leve os cogumelos já cozinhados ao frio, num tabuleiro coberto com papel vegetal, e de forma individual, sem estarem uns em cima dos outros. Uma vez congelados, podem ser transferidos para recipientes reutilizáveis ou sacos de congelador.

Para os cogumelos frescos há duas opções: saltear ou branquear. Depois de remover a terra e a sujidade com uma escova, corte o pé. Não os passe por água. O objectivo das duas técnicas é retirar humidade e evitar que percam textura.

Para saltear, tempere os cogumelos e frite-os em pouco azeite ou manteiga. Não os deixe cozinhar completamente. Depois de arrefecerem, coloque-os em sacos para congelador, removendo o ar e deixe no frio.

Branquear exige um pouco mais de preparação, mas ajuda a manter o sabor por muito tempo, até um ano. Separe os cogumelos por tamanho, para não deixar que cozinhem em excesso. Para evitar que escureçam ao cozinhar, mergulhe os cogumelos durante 5 minutos numa solução de meio litro de água e uma colher de chá de sumo de limão.

Ferva água e coloque os cogumelos inteiros por cima numa cesta de vapor durante 5 minutos. Os mais pequenos precisam de cerca de 3 minutos e meio. Assim que cozinharem, mergulhe-os pelo mesmo período de tempo em água gelada. Remova a água, coloque em sacos removendo o ar e congele.

No futuro, use directamente os cogumelos congelados. Deixe que descongelem ao cozinhar.

Congelar ervas aromáticas para utilizar mais tarde
  • Congelar ervas aromáticas é tão fácil

A salsa fresca que não chegou a usar no seu esparguete, tal como hortelã ou coentros, devem ser congelados em água.

Remova os pés, pique as folhas e coloque a erva aromática numa bandeja de gelo. Encha de água e deixe os cubos congelar. Depois de algumas horas, pode transferir tudo para um saco fechado ou outro recipiente. Basta descongelar quando quiser usar.

Alecrim, endro, tomilho, cebolinho e louro podem ser congelados diretamente, com pés e tudo. Basta colocar num tabuleiro e levar ao frio. Para a sálvia, deve remover o pé, colocar as folhas num saco e comprimir tudo sem esmagar. Feche o saco e role as ervas no fundo do saco até formar um cilindro de sálvia que deve prender com elásticos ou cordel antes de congelar. Pode cortar segmentos deste tubo para usar.

O manjericão e a hortelã exigem um pouco mais de cuidado. Estas ervas mantêm melhor o sabor se antes forem transformadas em pesto. Remova os pés e combine as ervas aromáticas com azeite, numa proporção de 1 medida de azeite para 4 de ervas. Triture tudo, coloque a mistura num saco e congele numa bandeja de gelo. Pode passar os cubos para um saco depois de congelados. Se quiser manter as folhas inteiras, congele como se fosse salsa, mas substitua a água por azeite.

Consegue evitar o plástico também ao congelar

Para diminuir a sua pegada ambiental, não faltam opções seguras para congelar comida que evitam o recurso a plásticos de uso único.

Pode experimentar substituir sacos de plástico por recipientes de vidro que possam ser levados ao congelador. Existem também recipientes metálicos que podem ser usados, com pouco risco de se partirem.

Uma opção de upcycling é utilizar embalagens de leite limpas. Depois de cortadas à medida, têm de ser seladas com fita-cola de congelador (encontra-se à venda em lojas de bricolage). Os recipientes para fazer queques são uma boa ideia para congelar pequenas porções de comida.