O plástico reciclado está na moda

Sabia que as suas opções de guarda-roupa podem contribuir para a despoluição dos oceanos? Há cada vez mais marcas a criar vestuário e calçado sustentável, feito a partir de plástico reciclado, retirado do mar.

Hoje, 60% da sua roupa é constituída por plástico e derivados. As fibras sintéticas são baratas e versáteis, mas são também parte do problema, uma vez que contêm microplásticos que ajudam a alimentar as gigantescas ilhas de plástico presentes nos oceanos.

No ciclo da fast fashion, a escala deste problema só aumenta. Roupas baratas, de baixa qualidade e altamente poluentes sobrevivem poucos meses no armário para serem depois descartadas. O plástico na sua roupa torna-se em plástico nos oceanos.

Uma das coisas que pode mudar este cenário é um consumo mais consciente, alargando o ciclo de vida útil da roupa. Ou seja, comprar para durar, apoiando a moda sustentável. Quando aplica os princípios de slow fashion, pense também como foi produzido o seu vestuário. É possível ter moda ecológica e ajudar a proteger o mar.

Slow fashion versus fast fashion

A slow fashion assenta num modelo de produção mais consciente e sustentável, que valoriza e respeita o ambiente e as pessoas envolvidas no processo de produção. Opõe-se à fast fashion que, para produzir em escala, utiliza recursos mais baratos e menos sustentáveis ambiental e socialmente.

Marcas eco-friendly como a Skizo, Zouri, Lemon Jelly, Wayz, Conscious Swimwear ou 38 graus permitem que o calçado e a roupa sejam também uma afirmação de eco-fashion. A preocupação ambiental estende-se à procura por roupa ecológica e ao desenvolvimento de sustentabilidade na moda. A utilização de materiais reciclados não tem que se limitar a embalagens.

Quando escolhe sapatos e roupas criadas com plástico reciclado, interrompe o ciclo de produção e desperdício.

Conheça algumas marcas made in Portugal que apostam na moda sustentável:

Skizo shoes

Fotografia cedida por Skizo.

  • Skizo

Cada par de sapatos da Skizo equivale a 36 garrafas de plástico retiradas dos mares.

A marca portuguesa, made in São João da Madeira, cria um par de sapatos de cada vez, para evitar o desperdício.

A principal matéria prima é feita a partir de plástico recolhido por pescadores, e complementada com outros materiais igualmente sustentáveis – as solas cor de rosa são feitas a partir de desperdício de pastilhas elásticas, por exemplo.

E quando os seus Skizo estiverem gastos pode devolvê-los à marca, para serem reparados e doados. As duas vidas de cada par contribuem para ter sapatos sustentáveis.

  • Zouri

Também a Zouri expande o universo de marcas de moda sustentável, com sapatos vegan e eco-friendly. Num ano, a empresa deu um novo destino a uma tonelada de plástico reciclado que sujava o mar português. A fábrica da Zouri em Guimarães aposta ainda na produção ética para aliar moda e sustentabilidade.

Sneakers Wayz

Fotografia cedida por Wayz.

  • Wayz

A Wayz, a partir do Porto, define os seus produtos como “Sneakers with a humanistic footprint”.

Com uma vertente social muito acentuada, aposta na transparência dos materiais, dos processos e dos próprios custos que levam ao preço final dos ténis que comercializa.

Os sneakers Wayz têm por base materiais eco-friendly e apostam num design intemporal que resiste ao passar do tempo e às tendências efémeras do moda. São feitos para durar.

Todos os componentes são obtidos localmente e a própria produção tem lugar num raio de 70km do Porto.

  • Lemon Jelly

Não são só os novos projetos a adoptar a ecologia. A Procalçado, a operar desde 1973, lançou em 2018 a coleção Wasteless Act, através da Lemon Jelly. A linha de calçado reduz em 90% as emissões de dióxido de carbono associadas à produção. Os sapatos são feitos de plástico reciclado.

Conscious Swimwear

Fotografia cedida por Conscious Swimwear.

  • Conscious Swimwear

Mas os bons exemplos não se limitam ao calçado.

Quando vai à praia, pode aproveitar um oceano limpo enquanto usa um biquíni da Conscious Swimwear. A marca alia-se à Econyl para transformar desperdício numa coleção mix & match de roupas sustentáveis.

Todo o material envolvido é sustentável, incluindo a embalagem. As caixas são recicladas, recicláveis e o mais pequenas possível, assim como as etiquetas, presas com fio de algodão biodegradável.

Um por cento dos lucros de cada biquíni, feito à mão em Lisboa, é doado a causas ambientais.

  • 38 graus

A 38 graus aposta em tecidos sustentáveis para criar roupas ecológicas. 80% dos biquínis e fatos de banho da marca são feitos com uma fibra de poliamida, criada com matérias recicladas. A promessa é duração. Os biquínis da 38 graus são anti-fast fashion.

Lembre-se que um artigo feito a partir de plástico reciclado não deixa de conter plástico. Lave-o a baixa temperatura, com um detergente eco-friendly, e lave à mão ou use um programa de lavagem curto, para reduzir a libertação de microplásticos.

O seu armário pode ser mais sustentável, mais duradouro e igualmente original. Em cada caminhada pela natureza ou ida à praia, o que usa pode contribuir para preservar o ambiente de que desfruta todos os dias.